Aline Canêjo

  • 66
    Shares
Aline Canêjo
5 (100%) 1 voto



A cantora paraibana Aline Canêjo desde criança, embalada e contagiada pela música acompanhava o seu pai (Maguila – O Mago dos Teclados) nos shows foi despertando para a carreira musical.

Adora MPB, Bossa, Samba e outros ritmos que melhoram o seu gosto musical como artista. Mas, em vista das tendências musicais que são marcantes no nordeste. Precisa cantar outros ritmos musicais até como forma de manter financeiramente os estudos e equipamentos musicais. As suas influências musicais são: Roberto, Alcione, Gal, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Marisa, Caetano Lulu, Roupa Nova. São tantos nomes que também contribuem para o crescimento cultural da população que faz esquecer-se da corrupção, violência e descaso com a arte.

É grata ao apoio que recebe todos os dias, dos seus pais que desejam sempre o seu melhor, desde o dia em que ela literalmente entrou na vida deles, bem como o seu marido que está sempre ao seu lado na carreira musical.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Aline Canêjo para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 03.09.2018:

 01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Aline Canêjo: Nasci no dia 04.09.1989 em Campina Grande (PB).

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Aline Canêjo: Meu primeiro contato com a música foi através do meu pai que é músico (Maguila – O Mago dos Teclados).

03) RM: Qual sua formação musical e fora da área musical?

Aline Canêjo: Eu estudei música na escola Som e Tom e no SESC. E sou formada em Administração de Empresas.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Aline Canêjo: Minha maior influência foi meu pai (Maguila – O Mago dos Teclados) e a grande cantora Marisa Monte. Eles nunca deixarão de ter um papel importante para mim. Eles são e sempre serão minha influência do passado e também do presente. Sempre estou aprendendo com meu pai.

05) RM: Quando, como e onde  você começou a sua carreira profissional?

Aline Canêjo: Comecei minha carreira como cantora aos 15 anos de idade, quando acompanhava o meu pai (Maguila – O Mago dos Teclados) em seus shows e minha primeira apresentação foi em um show dele.

06) RM: Quantos CDs lançados (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que se destacaram?

Aline Canêjo: Foram lançados dois CDs. O primeiro são releituras de sucessos e o segundo CD teve releituras e músicas autorais. Os músicos que participaram: Adriano Ferreira , Silas Oliveira, Cleiton Moura, Luciano Candido, Luciano Ribeiro e Helton Meireles, grandes músicos e amigos.

07) RM: Como é o seu processo de compor?

Aline Canêjo: Preciso estar um momento bem tranquilo para que surja algo legal, em um ambiente onde só tenha eu e o violão.

08) RM: Quais são os seus principais parceiros musicais?

Aline Canêjo: Meus principais parceiros são minha família. E meu esposo que sempre me apoiam em tudo que faço, segundo os meus músicos, por que sem eles eu não seria nada. Silas Oliveira é um grande exemplo disso, onde ele é meu parceiro musical como também entrou na família. Pessoa maravilhosa.

09) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

 Aline Canêjo: É algo bastante difícil, tendo em vista a quantidade de músicos que se encontra hoje no mercado, mas de uma forma humilde vamos batalhando nosso espaço assim como fazendo algo de diferente.

10) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Aline Canêjo: O Cenário musical está bem eclético, em que podemos encontrar de tudo um pouco e para agradar todos os gostos musicais. Uma das revelações foi a Kell Smith, amo a voz dela e músicas lindíssimas que mexe realmente com nossos sentimentos. Artistas que sempre tiveram o seu espaço na música: Caetano Veloso, Tim Maia, Gal Costa, Marisa Monte, Elis Regina, como tantos ícones da música.

11) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Aline Canêjo: Ivete Sangalo, exemplo de pessoa, administradora, artista, humildade em pessoa, a admiro bastante. Mais tem outros.

12) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Aline Canêjo: Já aconteceu tudo citado na pergunta. Fui cantar em uma cidade aqui da Paraíba, levei todos os meus músicos e tal, toquei o show, passei até do horário combinado para atender pedidos, mas no final ficaram de depositar o dinheiro na minha conta, até hoje. Já faz cinco anos mais ou menos, já cantei em palco com uma estrutura não muito legal e meu salto ficou enganchado (o sapato ficou). Entre outras citadas na pergunta.

13) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Aline Canêjo: O que me deixa mais feliz é ver a felicidade e energia do público. E o mais triste a falta de reconhecimento. Muita gente ainda pensa que o músico é vagabundo e que a música não é uma opção de trabalho.

14) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora.

Aline Canêjo: Em Campina Grande (PB) a cena musical da minha região é o forró e o sertanejo. Campina é a cidade do Maior São João do mundo…

15) RM: Quais os músicos e bandas locais que você recomenda ouvir?

Aline Canêjo: Tom Oliveira, Janine Lima, Forró do garotinho, Sócrates Gonçalves, Gitana Pimentel, Eloísa Olinto, Toque +, Kátia Virginia, Adilia Uchoa, Capilé, Maguila – O Mago dos Teclados, Banda Vollare… Tem muita gente boa. E claro, ALINE CANÊJO.

16) RM: Quais os fatores que faltam para uma cidade universitária e de forte comércio como Campina Grande, ter um mercado melhor para a profissão de músico?

Aline Canêjo: Não só Campina Grande, mas outras cidades tem uma diversidade de músicos e ritmos musicais. E que na maioria das vezes os músicos não têm espaço para se encaixar e falta o reconhecimento e respeito ao músico como profissional.

17) RM: Campina Grande que realiza o Maior São João do Mundo gera de fato um mercado profissional para os músicos locais?

Aline Canêjo: Sim. Com certeza.

18) RM: O que falta para o Festival de Inverno ter o mesmo destaque que o Maior São João do Mundo?

Aline Canêjo: Investimento

19) RM: Campina Grande que faz o Maior São João Mundo, tem espaços para dançar forró fora do mês de junho?

Aline Canêjo: E como tem (risos). Nos Bares e locais de festa se não tiver um “forrozinho gostoso” pra arrasta os pés não vale (risos).

20) RM: Quais os outros gêneros musicais que é forte em Campina Grande?

Aline Canêjo: Hoje o Sertanejo domina, junto com o forró.

21) RM: Quais os principais espaço de música ao vivo em Campina Grande?

Aline Canêjo: Bar do Cuscuz, Tio Lucio, Seu Manoel,  O Baixinho, Picanha 200, Urca Grill,  entre outros.

22) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Gabmar Cavalcanti e Kátia Virginia?

Aline Canêjo: Pessoas Maravilhosas e músicos esplêndidos.

23) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Tann?

Aline Canêjo: Pessoa maravilhosa, extrovertido e gente boa. Um grande músico… Amo de paixão.

24) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Eloisa Olinto?

Aline Canêjo: Gosto demais dessa menina. Pessoa linda por dentro e por fora, que canta lindamente.

25) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Gintana Pimentel?

Aline Canêjo: Pessoa linda, de talento excepcional.

26) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Capilé?

Aline Canêjo: Gosto muitooooooooooo. Gosto como pessoa e como profissional.

27) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Fidélia Cassandra?

 Aline Canêjo: Cantora maravilhosa… Uma Voz sem igual.

28) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Sócrates Gonçalves?

Aline Canêjo: Pessoa linda por dentro e por fora. E compositor maravilhoso, músico excepcional, desenhista sem igual. Ele é o TALENTO em pessoa.

29) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

 Aline Canêjo: Não conheço essa prática de pagar música para tocar nas rádios, mas acredito que as minhas músicas possam tocar nas rádios sem pagar o jabá.

30) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Aline Canêjo: Eu digo que batalhe por seu espaço, faça algo diferente e só entre na profissão se tiver amor pela música.

31) RM: Você estudou técnica vocal?

Aline Canêjo: Sim.

32) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal para a saúde vocal?

Aline Canêjo: De grande importância, principalmente para manter a voz sempre limpa, linda e para proteger nosso bem preciso (A Voz).

32) RM: Qual o câncer você foi acometida?

Aline Canêjo: Tive câncer de tiroide, como dizem os médicos o câncer mais simples de ser curado. Graças a Deus. Fui fazer exames de rotina e o médico detectou dois nódulos na tireoide, mais segundo ele, eram tão pequenos que não tinha como ser nada demais. “Os seus nódulos são tão pequenos que de 100 pessoas 1% dá câncer” disse o médico, infelizmente eu estava nesse 1%. Fiz a biopsia e estava bem tranquila dai fui adiando pegar o resultado. Nas idas para a Faculdade passei lá em frente e aproveitei e peguei resultado e deixei para abrir na Faculdade, foi lá que meu chão sumiu. E pensei logo na minha família, e entrei em desespero total. Marquei a cirurgia para a retirada dos nódulos. O médico disse que era bem tranquila a cirurgia, mas na hora tive uma hemorragia e se não sanasse o sangramento poderia até morrer. E para isso não acontecer ele deu um pontinho, onde minhas cordas vocais paralisaram e não conseguia mais falar. E durante um período fiz terapia fonoaudiológica, mas o médico e o fono disseram que não tinha mais como voltar ao normal, mas nosso Pai e Nossa Senhora Aparecida mostrou que minha a historia seria diferente e consegui voltar a falar. Ainda não estou cantando, mais em breve pretendo voltar as atividades.

34) RM: Quais os projetos futuros?

Aline Canêjo: Pretendo retomar minha carreira musical gravando um novo álbum, clipes e músicas autorais.

35) RM: Quais os seus contatos para show e para seus fãs?

Aline Canêjo: (83) 3331 – 4255 | 98780 – 9064 | [email protected]

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.