Alexandre Pé de Serra

  • 29
    Shares
Alexandre Pé de Serra
Avalie esta Entrevista

O cantor e compositor paraibano Alexandre Pé de Serra nasceu na capital João Pessoa e com raízes em Serraria no brejo paraibano. Ele traz no seu cantar o Nordeste traduzido em forró, xote, xaxado, arrasta-pé, baião e outros gêneros da música popular nordestina.

Envereda pelas estradas da vida musical com um estilo único no seu cantar, no declamar e alegra por onde passa com sua música e o seu show. Com 17 anos de carreira musical, dedicados ao legítimo forró. Já vem no seu matulão discográfico com: seis CDs, dois DVDs, sendo o primeiro nos seus 15 anos de carreira e o outro um documentário gravado em Monteiro no cariri paraibano, terra das suas inspirações.

Alexandre Pé de Serra se solidifica como um legítimo seguidor dos mestres: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, dentre outros. Com um jeito simples e singular de interpretar e compor. Ele vem com um show Alegre, Cultural e fiel as suas origens forrozeiras. Como ele sempre diz: Um abraço forrozado. “SE ABRE AS CORTINAS PARA ALEXANDRE PÉ DE SERRA”.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Alexandre Pé de Serra para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 09.04.2018:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Alexandre Pé de Serra: Nasci no dia 19.06.1970 em João Pessoa – Paraíba.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música?

Alexandre Pé de Serra: Aos 12 anos de idade, quando ganhei o meu primeiro Violão do meu pai. Assim comecei a compor e aprender a toca o Violão.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

Alexandre Pé de Serra: Sou enfermeiro nível superior com duas pós-graduações, como também empreendedor no ramo da Cultura.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Alexandre Pé de Serra: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, João do Vale, Três do Nordeste, Sivuca, Dominguinhos, Trio Juazeiro.

05) RM : Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Alexandre Pé de Serra: A partir dos 17 anos de idade fazendo poesias, canções. Cordéis. Profissionalmente com o primeiro disco em 2000.

06) RM : Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Alexandre Pé de Serra: 6 CDs: Em 2000 com CD – “AUTENTICIDADE FORROZEIRA”, primeiro trabalho em estúdio como profissional. Em 2003 com CD – “MATUTO CHEIROSO”. Em 2011 com o CD – “FEITO BRASA NO TERREIRO”, trabalho com composições minhas em parcerias e com participações. Em 2013 com CD – “AO VIVO EM JOÃO PESSOA – PB”, com a participação da cantora, sanfoneira, parceira e amiga Lucy Alves. Em 2014 com o CD – “UM OLHAR ,UM XAMEGO”, trabalho com várias participações com parcerias e composições autorais. Em 2015 com CD – “DUETOS” para celebrar os meus 15 anos de carreira musical. Fiz uma coletânea de 15 duetos que cantei e gravei durante esses 15 ANOS de forró. Em 2015 o DVD “15 ANOS”. Em 2015 o “Documentário dos meus 15 ANOS DE CARREIRA”, lançado sopras mídias Internet, gravado em Monteiro cidade do cariri paraibano.

07) RM : Como você define seu estilo musical?

Alexandre Pé de Serra: Forró autêntico, de raiz, música popular nordestina.

08) RM : Você estudou técnica vocal?

Alexandre Pé de Serra: Não. Foi a melodia da vida e o dom que Deus me concedeu. Ainda sou um aprendiz, pois aprendemos todos os dias a cantar e compor música.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Alexandre Pé de Serra: São vários. Desde ópera como Luciano Pavarotti, a MPB com Djavan, Reginaldo Rossi, samba com Roberto Ribeiro, Internacional com The Police, forró com Luiz Gonzaga.

10) RM: Como é o seu processo de compor?

Alexandre Pé de Serra: Vem da inspiração que Deus e a vida me dar todos os dias. Chegam praticamente juntas: Melodia e letra.

11) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Alexandre Pé de Serra: Ilmar Cavalcante, Walter Lins, Targino Gondim, Dudu Jorge, Raphael Moura etc. Mas gosto de compor sozinho, mas sempre é bom e salutar fazer parcerias.

12) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Alexandre Pé de Serra: Nádia Maia, Gil Martins, Elmo Oliveira, Banda Rei do Cangaço, Casaca de couro, Quinteto dona Zaíra, Maketrefe, Beto Brito, Lilian Jabour, Sarah Lopes, Tiziu do Araripe, Rony Barbosa, Adelmo virgulino,anny Monteiro, André Henriques, Aelson Alves, Mestre Marrom, João di  Carvalho etc.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Alexandre Pé de Serra: Uma carreira independente é uma utopia, precisamos sempre de parceiros.

14) RM : Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Alexandre Pé de Serra: Acreditar em meu trabalho, ser honesto como minhas raízes. Fora dos holofotes dos palcos, das mídias é ter caráter, respeito com todos, ter e fazer amizades construtivas. Ter seriedade com meu trabalho.

15) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Alexandre Pé de Serra: A internet veio pra divulgar em lugares jamais alcançados  a nossa música; nosso trabalho. uma ferramenta essencial nos tempos de hoje e sempre.

16) RM : Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Alexandre Pé de Serra: Vantagens: muito bons esses homes estúdios. Se for de Boa qualidade será bem vindo. Desvantagens: com o uso de samplers bem feitos, tirou muitos músicos dos estúdios.

17) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Alexandre Pé de Serra: Trabalhar com músicos bons, que tenham personalidade musical e perfil com o seu trabalho, compor com respeito e escolher um repertório digno com o seu show, seu público.

18) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Alexandre Pé de Serra: Revelações: Cezzinha, Raphael Moura, Fábio carneirinho, Leonardo d’luna, Henrique Brandão, dentre outros.

19) RM : Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Alexandre Pé de Serra: Dominguinhos, Targino Gondim, Maciel Melo, Djavan.

20) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Alexandre Pé de Serra: Feliz, que a minha música é a nossa identidade nordestina. Cantar para o nosso povo e quem gosta do autêntico forró. Triste: é o esquecimento dos que poderiam fazer mais, muito mais para a nossa cultura.

21) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Alexandre Pé de Serra: Temos em João Pessoa (PB) poucos espaços para o forró. Nos outros estilos musicais está em acessão.

22) RM : Quais os músicos, bandas da cidade que você mora, que você indica como uma boa opção?

Alexandre Pé de Serra: Os Fulano; Os Gonzagas, Imbalace, Osmidio Neto.

23) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Alexandre Pé de Serra: Em algumas rádios sim, infelizmente não em todas. Mas nunca paguei jabá para tocarem as minhas músicas.

24) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Alexandre Pé de Serra: Perseverança, atitude, planejamento e Amor ao que pretende mostrar.

25) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Alexandre Pé de Serra: Sempre é bem vindos os Festivais de Música.

 25) RM: Na sua opinião, hoje os Festivais de Música ainda é relevante para revelar novos talentos?

Alexandre Pé de Serra: Sim, se os Festivais de Música forem sérios e honestos. Tudo é válido.

26) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Alexandre Pé de Serra: Como tem o jabá (pagamento para tocar uma música na programação) para as rádios, também tem para a grande mídia. Mas no contexto geral as coberturas feitas para nossa música popular nordestina se não for feita por nós ou por mídia, seria muito bom.

27) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Alexandre Pé de Serra: Maravilhoso esse espaço. O músico que está querendo fazer com que o seu trabalho chegue até a esses espaços basta se profissionalizar.

28) RM: Quais os seus projetos futuros?

Alexandre Pé de Serra: Novo trabalho em 2018 com disco, clipe e livro em andamento.

29) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Alexandre Pé de Serra: [email protected]

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.