André Tavares

O músico, compositor e professor de linguagem musical André Tavares nasceu em um berço musical e desde criança gostava de ver o seu avô (José) tocando no violão músicas de Dilermando Reis, João Pernambuco, entre outros.

Mas apenas na adolescência começou a estudar música, sendo o violão e a guitarra suas paixões. Conheceu Jack Lima, criador do SMD (Sistema Musical Definitivo), e desde então se apaixonou ainda mais pela linguagem musical apresentado de uma forma lógica e clara.

Seu primeiro álbum solo instrumental “Dama de Copas” foi lançado em Atualmente trabalha como professor de linguagem musical na escola de música Music Store (representante do SMD) e também dos projetos “Sagitaruim”, Produtora “Queens Music”, Duo acústico com a cantora Liliane Bertante.

Os seus parceiros musicais e comerciais são: Captadores Teslã Pickups Brasil, THS Guitar (Luthier Thiago Serafim) e SMD (Sistema Musical Definitivo).

Entrevista exclusiva com André Tavares para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 27.11.2017:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

André Tavares: Nasci no dia 21 de setembro de 1986 em Monte Sião/MG.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

André Tavares: Meu primeiro contato com a música foi aos 14 anos de idade quando comecei a tocar Violão por hobby. Era só para tocar as músicas da banda Legião Urbana com os amigos.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

André Tavares: Fiz cursos de música com diversos professores em aulas particulares. Em 2013 concluí os estudos de conhecimento, prática do conhecimento adquirido e percepção no Sistema Musical Definitivo (SMD) com Jack Lima.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

 André Tavares: Aos 12 anos de idade comecei a me interessar por bandas de rock nacional, como Legião Urbana e pelos violonistas Dilermano Reis, João Pernambuco, influenciado pelo meu avô (José) que tocava Violão Clássico. Aos 15 anos conheci os solos melódicos do Slash e aos 17 anos meu interesse foi pelo grupo Angra, Joe Satriani e Steve Vai, iniciando assim meu gosto pela música instrumental. Atualmente, vejo que essas influências foram importantes para o meu início na música, mas algumas delas, eu já não acompanho mais. Minhas influências atuais são: Tom Jobim, Eric Johnson, Kiko Loureiro e Andy Timmons e outros continuaram como: Angra, Joe Satriani e Steve Vai.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

André Tavares: Comecei com 20 anos fazendo free lancer e dando aulas de música em escolas de Monte Sião/MG e Águas de Lindóia/SP.

 06) RM: Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

 André Tavares: Tenho dois CDs lançados até hoje. O primeiro foi em 2006 com a banda Microfonia, o álbum “Procurando Um Caminho”, no qual possui um perfil pop rock nacional e a música que caiu no gosto do público foi “Procurando Um Caminho”, título do CD, que inclusive ganhou o Festival de Expressão Livre de 2007. Os músicos eram todos amigos da mesma cidade na época da adolescência. O segundo CD foi lançado em 2014, chamado “Dama de Copas”, o primeiro trabalho instrumental solo e possui participação do baixista Elton Dirceu na faixa Flying. O perfil mistura rock, clássico e erudito, as faixas que mais entraram no gosto do público são: “Screaming”, “Flying” e “Vô José”.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

André Tavares: Por influência do meu avô (José), gosto muito de violão clássico. Na adolescência escutei muitas bandas de rock, pouco tempo depois, conheci o trabalho do Tom Jobim, e a Bossa Nova começou a me influenciar também e em seguida, veio o instrumental, e tudo somou no estilo que eu toco hoje. Meu primeiro CD solo, “Dama de Copas”, é o resultado dessas influências.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

André Tavares: Para criar a melodia escolho uma fórmula de compasso e motivos rítmicos, dependendo do clima que quero uso o modo (lídio, mixolídio, dórico, etc.) mais característico para o tipo de som. E, crio uma melodia principal, depois faço as partes B e C e assim por diante. Começo a fazer a pré-produção gravando os outros instrumentos e começo a fase de teste até começar a ganhar a forma que eu desejo. Para o processo de letra, geralmente é uma história que aconteceu comigo com algumas modificações. Na banda “Sagitarium”, o baixista e filósofo Elton Dirceu, compõe a maioria das letras das músicas e eu componho a parte melódica e arranjos.

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

André Tavares: As composições realizadas apenas por mim são do projeto instrumental “Dama de Copas” e tenho projetos com alguns amigos músicos que conheci ao longo do tempo.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

 André Tavares: Os prós é que o trabalho desenvolvido possui a sua própria ideia sem ter influências de terceiro. Os contras estão na dificuldade de divulgação do trabalho.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

 André Tavares: Estou sempre em processos de aprendizado, estudando e compondo músicas, tentando progredir a cada dia.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver sua carreira musical?

André Tavares: Eu possuo um canal no YouTube onde divulgo minhas músicas, meus estudos e também coloco vídeo aulas sobre diversos temas.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

 André Tavares: A internet ajuda o desenvolvimento da carreira para expor o trabalho gratuitamente para todos. Um exemplo de site que apóia e dá suporte aos artistas é o Onerpm, em que eu consigo registrar as músicas e ainda ser remunerado com visualizações em qualquer plataforma online ou quando uma música é vendida.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia  de gravação (home estúdio)?

André Tavares: Hoje a tecnologia facilita o processo de composição, pois com poucos equipamentos é possível gravar com muita qualidade dentro de um quarto, algo que antes era impossível de ser realizado e os músicos gastavam muito com estúdios. A desvantagem da tecnologia de fácil acesso é que muitos músicos acabam se preocupando somente com o uso dos equipamentos e assim perdem um precioso tempo que poderia ser dedicado ao estudo musical.

15) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

 André Tavares: Realmente não é nada fácil, pois a maioria das pessoas se preocupa mais em ganhar dinheiro do que fazer ARTE. Eu costumo seguir o caminho contrário, focando na qualidade musical e na ARTE.

16) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro? Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

André Tavares: O cenário musical brasileiro hoje está tomado de assalto pela grande mídia em que se concentra em música sem conteúdo e repetitiva. E geralmente construída sobre a mesma progressão harmônica e rítmica. Existe muita coisa boa no Brasil, porém com a crise política que o país está passando atualmente, a cultura é deixada de lado a cada dia. Sem o acesso a educação e ao conhecimento fica impossível o indivíduo distinguir o ruim do bom. Há muitas revelações pela internet, todos os dias aparecem grandes artistas, mas é preciso buscá-los, pois a mídia não os mostra.

17) RM: Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

André Tavares: Eu possuo como exemplo músicos que se preocupam com profissionalismo e qualidade musical acima de tudo, aqueles que falam que com estudo e perseverança é possível se desenvolver musicalmente.

18) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

 André Tavares: Na época que atuava como músico free lancer, passei o som a tarde para tocar a noite. E um pouco antes do show começou a chover muito forte e todos correram para retirar os equipamentos do palco que não tinha uma infraestrutura adequada para o evento nem para os músicos.

19) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

André Tavares: O que me deixa mais triste é vê a grande mídia dá espaço para músicas sem qualidade, enquanto vários artistas que estudam e trabalham sério não tem a mesma oportunidade. Essa prática da mídia influencia a população a ter cada vez menos acesso às músicas de qualidade. O que me deixa mais feliz é trabalhar com o que eu gosto de fazer e não me vejo em outra profissão.

20) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios? 

André Tavares: Não acredito. No meu projeto instrumental é ainda mais difícil, pois este tipo de música vem ganhando cada vez menos espaço nas rádios. No projeto com a banda “Sagitarium”, eu acredito que possa tocar em rádios independentes.

21) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

André Tavares: Que estude bastante, pois assim como nas outras profissões, a música também tem seu estudo complexo, porque muitas pessoas dizem que é dom, mas eu acredito em vocação.

22) RM: Quais os Guitarristas e Violonistas que você admira?

André Tavares: Eu admiro muito o Kiko Loreiro, Andy Timmons, Eric Johnson, Eddie Van Halen, Steve Vai, Joe Satriani, Slash, Dilermano Reis, Yamandú Costa e Baden Powell.

23) RM: Quais os compositores de rock, Jazz, Blues, Bossa Nova que você admira?

André Tavares: Eu admiro o Renato Russo, Rafael Bittencourt, Charlie Parker, Tom Jobim, entre outros.

24) RM: Quais os discos que você atuou como músico e produtor musical?

André Tavares: Atuei como músico no CD da banda “Microfonia”, no meu disco instrumental “Dama de Copas” e estou produzindo um disco com a banda “Sagitarium”.

25) RM: Quais os cantores (as) e bandas que vocês já acompanhou como Guitarrista e Violonista?

André Tavares: Já fiz muito free lancers com cantores desconhecidos do público.

26) RM: Nos apresente a sua metodologia como professor de Guitarra e Violão?

André Tavares: Minha metodologia é 100% baseada no Sistema Musical Definitivo (SMD), sendo o criador o Jack Lima, meu grande mestre.

27) RM: Quais as principais diferenças entre as técnicas de Violão e Guitarra?

André Tavares: São várias, por mais que as afinações dos instrumentos sejam idênticas, a forma de executar é bem diferente, por exemplo, na guitarra, gosto muito de usar alavancadas e bends, que já não são comuns no violão, sem contar o uso de pedais de efeitos que são característicos para guitarras. Existem também vários tipos de vibratos que são usados de formas diferentes entre um instrumento e o outro.

 28) RM: Quais as principais técnicas para se dominar, para se tornar um bom Violonista/Guitarrista?

André Tavares: Acredito que o primeiro passo é conhecer o instrumento, nota a nota, um bom conhecimento do braço, intervalos, acordes, escalas, modos, campo harmônico e divisão rítmica. Sem esses conhecimentos básicos, fica difícil ter uma base no instrumento. Técnica é um conjunto de conhecimentos.

29) RM: Qual a importância dos conhecimentos tecnológicos para o Guitarrista?

André Tavares: É importante conhecer para poder construir um timbre característico. Muitos guitarristas se preocupam mais com equipamentos do que o estudo musical. Eu vejo essa situação quando estou dando aulas e alguns alunos saem do curso de música reclamando de falta de dinheiro e ao mesmo tempo conseguem comprar diversos equipamentos caros, mostrando assim a desvalorização do conhecimento e valorização dos bens materiais.

30) RM: Quais os pedais analógicos você indica para o Guitarrista?

André Tavares: Existem muitas marcas boas. O mercado que vem ganhando muita notoriedade são os handmades. No Brasil é possível encontrar vários de excelente qualidade e custo benefício. Das marcas famosas eu gosto dos pedais da MXR, Boss e Eletric Harmonics.

31) RM: Quais as pedaleiras versáteis que você indica para o Guitarrista?

André Tavares: Eu não uso pedaleiras. Eu gosto mais de pedais pelo fato de cada guitarrista possuir uma configuração característica, mas a pedaleira possui menos cabos e menos ligações deixando ela muito compacta e várias marcas oferecem grande qualidade, como a Line 6, GT 10 da Boss, entre outras.

32) RM: Quais as guitarras e violões você indica?

André Tavares: Eu uso guitarras produzidas pelo Luthier Thiago Serafim (THS Guitars), pois gosto do fato de ser um instrumento único com as minhas particularidades.

33) RM: Quais os principais vícios e erros o estudante se deve evitar de Violão e Guitarra?

André Tavares: A maioria dos estudantes quer aprender sem o estudo lógico, ficando muito tempo tocando (repertório) e pouco tempo estudando (conhecimento, prática e percepção).

34) RM: Quais os principais erros de metodologia de ensino de música?

André Tavares: O principal erro está no imediatismo, falta de base, como por exemplo, um aluno tocar uma música sem saber nem ao menos a ordem das notas musicais, causando problemas para seu desenvolvimento, ficando estagnado.

35) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

André Tavares: Não acredito no dom musical, acredito na vocação. Por exemplo, um médico não nasceu com o dom de operar uma pessoa, mas nasceu com a vocação para ser médico, assim, se dedicou aos estudos se tornando apto para operar.

36) RM: Qual a definição de Improvisação para você?

 André Tavares: Para mim é conversação seletiva, como dito na resposta acima.

37) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre improvisação musical?

André Tavares: Quem é adepto ao Sistema Musical Definitivo (SMD) é estudante de conversação. Para nós a improvisação é uma conversação seletiva. Quem quiser saber mais acesse esse link: http://www.ritmomelodia.mus.br/2013/07/16/jack-lima/

 38) RM: Existe improvisação de fato ou é algo estudado antes e aplicado depois?

André Tavares: É algo estudado antes sim e aplicado depois, por isso conversação seletiva. Sistema tradicional: improvisação / SMD: conversação, onde o indivíduo sabe tudo o que está fazendo, podendo até escrever aquilo que fez.

 39) RM: Como chegar ao nível de leitura à primeira vista?

André Tavares: Muitos querem caminhos curtos para alcançar seus objetivos o mais rápido, mas pela minha experiência, esses caminhos não existem. O caminho é árduo e longo. Só quem passa por ele consegue alcançar seu objetivo. Não existem atalhos, existe o estudo diário.

40) RM: Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista?

André Tavares: No Sistema Musical Definitivo (SMD) há um software com todos os assuntos relacionados ao conhecimento musical. Do básico ao avançado, e existe a área da leitura, onde o aluno passa por testes de conhecimento, de leitura musical, inclusivo com tempo para responder. O estudo diário o deixará apto para isso.

41) RM: Quais as principais diferenças positivas do Sistema Musical Definitivo – SMD desenvolvido pelo Jack Lima para a metodologia tradicional do ensino musical?

André Tavares: Sem dúvida é a base com começo, meio e fim. O uso do software ajuda a acelerar a mente a um nível assustador, depois o aluno passa pela parte prática e por último a parte da percepção.

42) RM: Qual a importância e o diferencial do Dicionário de Ritmo criado e lançado pelo Jack Lima?

André Tavares: Simplesmente porque é o livro com mais fórmulas de compassos e motivos rítmicos. Quem usa o Dicionário de Ritmo estuda com a base da matemática gerando quintilhões de possibilidades.

 43) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Jack Lima?

André Tavares: Conheci o Jack Lima em 2009 depois de ter estudado com diversos professores, e no Sistema Musical Definitivo (SMD) encontrei tudo aquilo que eu precisava. Desde então ele tem sido meu professor, mentor, aconselhador, mestre e meu grande amigo. O Jack está sempre disponível, não importa a hora, para me ajudar e ajudar a todos que querem compreender a música de forma lógica.

44) RM: Quais os seus projetos futuros?

André Tavares: Vou continuar compondo músicas instrumentais e lançar algumas que já estão quase prontas, no formato de Singles. E já comecei a gravar um EP com minhas músicas autorais, dessa vez assumindo os vocais, com a “Sagitarium” estamos em processos de composições, adaptações, ensaios e em breve teremos novidades. E estou iniciando um projeto de produtora, a “Queens Music”, que trabalhará com músicas para eventos e produção musical. E comecei o projeto de uma banda de pop rock banda 12 Luas. E o Duo com a cantora Liliane Bertante.

45) RM – Quais seus contatos para show e para os fãs?

André Tavares: guitarristaandre@hotmail.com | (35) 99265 – 6614 | www.youtube.com/guitarristaandre | Instagram: @guitarristaandre | www.facebook.com/guitarristaandre

O que achou? Comente aqui!