Amazan

 O cantor, compositor e sanfoneiro paraibano Amazan faz sucesso dentro e fora de sua cercania. É um tipo de “santo de casa” que não precisou fixar residência no sudeste para se destacar nacionalmente.

Faz o estilo sanfoneiro com aparência moderna e toque que vai do tradicional a tendência atual do Forró. Começou a sua carreira musical em 1984 no grupo folclórico Tropeiros da Borborema e ficou até 1988.  Em 1989 saiu dos Tropeiros da Borborema e lançou o seu primeiro Long Play – “Naturalmente”. Ganhou experiências nacionais e internacionais e trilhou sua carreira solo com mais de 20 discos gravados. Um por ano. Tem todos os anos uma ou mais músicas sendo sucessos nas rádios do Brasil. E mistura forró com poesia popular e repente criando uma nova tendência de música nordestina dançante com letras de conteúdos sérios e engraçados. É um sanfoneiro que não começou com Trio ou Banda. Mas como um cantor que tocar sanfona.

Um autodidata do acordeon que montou uma fábrica de acordeon – Leticce. É carismático no palco, um showman da sanfona que anima as festas juninas, vaquejadas e salões pelo Brasil. Abaixo  entrevista exclusiva com Amazan para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em Março 2004:

01) RitmoMelodia: Fale do seu primeiro contato com a música. Qual sua cidade de origem?

Amazan: Meu primeiro contato com a música foi na Banda de Música na cidade de Jardim do Seridó – RN, aonde fiz algumas aulas e morei lá quando criança até 19 anos de idade. Nasci no 5 de outubro de 1963 em Campina Grande – PB, mas me criei em Jardim do Seridó.

02) RM: Quais foram as suas principais influências musicais?

Amazan: Trio Nordestino, Os Três do Nordeste e Dominguinhos.

03) RM: Fale da sua participação nos Tropeiros da Borborema.

Amazan: O grupo Tropeiros da Borborema foi muito importante na minha carreira musical e na minha vida de modo geral. Viajei por vários estados do Brasil e fui pela primeira vez à Europa com o grupo. Nele tive a oportunidade de mostrar meu trabalho para um público muito grande.

04) RM: Fale do seu início na carreira musical.

Amazan: Como profissional, em carreira solo, foi em 1989, com o lançamento do meu primeiro LP, intitulado Naturalmente.

05) RM: Com quantos anos você começou a tocar Acordeon? Qual a sua formação musical?

Amazan: Comecei tocar sanfona aos 14 anos de idade e sou autodidata na música, mas já fiz cursos de técnica vocal e de harmonia musical.

06) RM: Quantos discos gravados? 

A – São 20 discos gravados:

1. Naturalmente – 1989

2. Amazan – 1990

3. De Canto a Conto – 1991

4. Diversos Cantos – 1992

5. O Melhor de Amazan – 1992

6. Em Cantos – 1993

7. Novos Cantos – 1994

8. Dez Poemas Engraçados I – 1994

9. Correnteza da Paixão – 1995

10. O Rei da Vaquejada – 1996

11. Forrojada – 1997

12. Os Vinte Maiores Sucessos de Amazan – 1997

13. De Olho na Calcinha – 1998

14. O Cantador de Vocês – 1999

15. Amazan Ao Vivo – Vol I  – 1999

16. Sanfoneiro Nordestino – 2000

17. Forró Gostoso – 2001

18. Dez Poemas Engraçados – Vol II – 2001

19. Amazan Ao Vivo – Vol II – 2002

20. Viciado em Mulher – 2004

“Viciado em Mulher” é um CD com 17 faixas em ritmos variados que vão desde animados forrós a canções que recebem de Amazan uma roupagem nova que contribui em muito para a popularidade do ritmo nordestino.

07) RM: Como você define o seu perfil musical?

Amazan: Bem, eu sou poeta popular, sou cantor de forró e também toco acordeon. Sou um artista do nordeste, que procuro manter viva a chama do ritmo nordestino.

08) RM: Fale da relação da poesia de cordel em suas músicas.

Amazan: O cordel de antigamente era o jornal do matuto. E no meu trabalho tem algum reflexo disso. Mas o cordel não deve ser confundido com repente de viola. Do repente ou cantoria de viola, eu tenho sim buscado muito para as minhas músicas. Gravei vários estilos e canções desse seguimento.

09) RM: Quais são seus parcerias musicais mais freqüentes?

Amazan: João Gonçalves, Louro Branco, Moacir Laurentino, Sebastião da Silva e Ivanildo Vila Nova são alguns dos parceiros meus.

10) RM: Fale do São João de Campina Grande. Qual a importância da festa para divulgação do Forró?

Amazan: Uma festa gigantesca, que durante trinta dias respira e vive esse ritmo que tem muita importância. São turistas de toda parte que vêm à Campina Grande, conhecem e levam consigo o nosso forró.

11) RM: Como você analisa o surgimento dos grupos de “Forró Universitário “no sudeste? 

Amazan: Analiso de forma natural porque o “forró universitário” nada mais é do que o pé de serra que eu fazia há 25 anos. E minha opinião é que foi muito boa essa explosão que houve no sudeste. Fortaleceu o forró.

12) RM: Como você vê o mercado para a música nordestina hoje?

Amazan: Está bem. Apesar da pirataria eu tenho vendido 50 mil cópias por ano. É uma marca muito boa. Para quem não tem muito espaço na mídia.

13) RM: Quais os projetos para 2004?

Amazan: Estou com um CD novo na praça e concluindo a minha fábrica de sanfonas,a LETICCE ACORDEONS.

Contatos: amazan@uol.com.br  / www.amazan.com.br /   amazan@amazan.com.br   (83) 3335 – 3000

O que achou? Comente aqui!